ANTÓNIO E MARIA

 

SOBRE O ESPECTÁCULO

O Teatro Meridional, dando continuidade a duas das suas linhas de trabalho de eleição - criação de novas dramaturgias baseadas em adaptações de textos não teatrais e encenação de textos originais – e colocando uma vez mais o actor no centro da cena, é a Companhia que se orgulha de dar alma, forma e caminho a mais um projecto tão singular da identidade portuguesa.

O objectivo foi partir do grande e profundo universo literário de António Lobo Antunes, com adaptação e escrita para cena de Rui Cardoso Martins, identificando um conjunto de personagens cujas vozes são quase corpóreas e cuja identidade é pertença de uma matriz lusitana.

Mulheres e Homens de diferentes extractos sociais, frágeis, fortes, pessoas ambíguas. Mulheres só desenhadas no silêncio de cenas quotidianas, outras explodindo ou implodindo na poética tantas vezes dolorosa do mundo com humor e intensidade, é o sentido deste espectáculo.

Uma actriz, Maria Rueff,  cuja versatilidade no entendimento e na capacidade de concretizar através da construção de personagens a ampla diversidade humana é inequívoca, é o corpo, a sensibilidade e a voz que interpelará, na cena, o mundo.

Esta é a 50ª produção do Teatro Meridional.

 

SINOPSE
Para ler e escutar Lobo Antunes é preciso ter a chave certa. Se calhar, a chave mais directa e mais complexa é a mulher. Melhor dizendo, a multidão de mulheres que vivem nos seus livros. Quem diz livros, diz peça de teatro.
O espetáculo ANTÓNIO e MARIA é uma procura, uma surpresa, um monólogo múltiplo de mulheres. Vozes mutantes num corpo iluminado. Um exercício, por assim dizer, de doméstico sublime. Aproveitando uma lição simples do escritor para a vida toda: Espreitar para dentro de uma bota porque às vezes há coisas.
 
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor António Lobo Antunes | Dramaturgia e Adaptação Rui Cardoso Martins | Versão Cénica, Encenação e Desenho de Luz Miguel Seabra | Interpretação Maria Rueff | Espaço Cénico e Figurino Marta Carreiras | Música Original e Espaço Sonoro Rui Rebelo Fotografia Nuno Figueira | Direcção de Cena e Assistência de Encenação Vítor Alves da Silva | Assistência de Cenografia Marco Fonseca | Montagem Marco Fonseca | Operação Técnica Paulo Gomes (2017), Rafael Freire (2015) | Assistente de Produção Susana Monteiro | Produção Executiva Rita Conduto (2016), Natália Alves (2015) | Assessoria Jurídica Diogo Salema | Assessoria de Gestão Mónica Almeida | Direção Artística do Teatro Meridional Miguel Seabra e Natália Luiza | Coprodução Fundação Centro Cultural de Belém / Teatro Meridional
Duração | apróx. 70 min
Classificação Etária |M/16

 

 

 

Espetáculo estreado a 7 de Maio de 2015 no Centro Cultural de Belém, Lisboa.

 

Temporada no Centro Cultural de Belém

07 a 16 de Maio de 2015

 

Temporadas no Teatro Meridional

09 a 27 de Setembro de 2015

 14 de Janeiro a 02 de Fevereiro de 2016

30 de Março a 09 de Abril 2017 (Quinta a Sábado, às 21h30 e Domingo às 16h)

 

Itinerância 2016 – Nacional

13 de Fevereiro, Vila Real, Teatro Municipal de Vila Real

19 de Fevereiro, Albergaria, Cine-Teatro Alba

26 de Fevereiro, Castelo Branco, Cine-Teatro Avenida

05 de Março, Barreiro, Auditório Municipal Augusto Cabrita

12 de Março, Almada, Teatro Municipal Joaquim Benite

18 de Março, Torres Vedras, Teatro-Cine de Torres Vedras

02 de Abril, Funchal, Festival AMO-Teatro

15 de Abril, Coimbra, Centro de Congressos Convento de S. Francisco

14 de Maio, Tondela, ACERT

16 de Setembro, Loulé, Cine-Teatro Louletano

5 de Novembro, Figueira da Foz, Centro de Artes e Espectáculos

  

Itinerância 2017 – Nacional

18 de Março, Lagos, Centro Cultural de Lagos

25 de Março, Torres Novas, Teatro Virgínia

21 de Abril, S. João da Madeira, Casa da Criatividade

 

Teatro Meridional é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal / Direcção-Geral das Artes e apoiada pela Câmara Municipal de Lisboa.

 

 

 

Newsletter

Desejo receber novidades sobre o Teatro Meridional.