A COMMEDIA DELL'ARTE HOJE

A Commedia dell'Arte foi a última manifestação mascarada do teatro no Ocidente e marcou quase três séculos de uma atividade que veio a ser determinante não apenas para a formação do ator até aos dias de hoje (constituindo-se como o seu primeiro grande laboratório) mas inclusive para a profissionalização de toda uma atividade que pôde, a partir daí, sistematizar os seus ensinamentos de forma a criar escola e a transmiti-los.

Manifestação popular, de origens controversas, três marcas são-lhe no entanto reconhecidas como estruturantes para o ator moderno:

  1. o recurso à improvisação;
  2. a tipificação de personagens;
  3. o recurso à máscara, que permite desenvolver a capacidade de desdobramento no "outro", comunicando de forma total.

Neste workshop, o trabalho estruturar-se-á em torno de algumas linhas de força que visam projetar o ator para uma prática que se revele útil, senão mesmo determinante, para todas as suas abordagens profissionais e artísticas:

  • a consciência plena do fenómeno da representação que o uso de uma máscara faculta;
  • a metodologia própria em torno do processo de construção de uma personagem;
  • o trabalho desenvolvido em torno de uma técnica que privilegia a improvisação, no seguimento da corrente "ator-criador";
  • a contextualização da Commedia dell'Arte enquanto fenómeno espontâneo do teatral e a sua possibilidade no fazer teatral do século XXI.

Dias: 21 a 25 de outubro de 2013

Horário: 10h00 às 14h00

Total horário: 20 horas

Nº limitado de inscrições

Público Alvo: Atores, bailarinos profissionais e estudantes de artes cénicas

Valor: 80€

Ficha de inscrição: Clique aqui para descarregar a ficha de inscrição. Uma vez preenchida, envie-nos para o e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Direção: Nuno Pino Custódio

image

Nuno Pino Custódio nasceu em Lisboa, em 1969. Especializou-se em Estudos de Teatro, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Desde o começo de uma actividade, iniciada aos vinte anos, desenvolve e sistematiza uma metodologia de interpretação com máscara. Foi aluno de Ferruccio Soleri (2000) e de Mario Gonzalez (2008 e 2012).

Colabora amiúde com escolas profissionais - Escola da Máscara, Academia Contemporânea do Espectáculo, Escola do Chapitô, ESE Coimbra, ESTAL, ACT e ESMAE, - colaboração esta que tem sido extensível a diversas unidades de criação - CITAC e TEUC (Coimbra), Teatro Meridional, Teatro O Bando, Circolando, Teatro Oficina, Teatrão, ACTA, Teatro do Montemuro, FIAR e ESTE – Estação Teatral, estrutura da qual é director artístico.

Como encenador, a sua actividade não se dissocia da própria dramaturgia que cria (uma "dramaturgia do ver", como prefere definir, contemporânea ao espaço do ensaio) nem tão-pouco da escrita. Conta com mais de quatro dezenas de criações, muitas de sua autoria, outras em regime de co criação, onde a centralização do trabalho do actor (na perspectiva de uma "representação total") e a improvisação, como ferramenta de pesquisa e criação, se fundem com o vasto território da máscara e desenvolvem toda uma intervenção que converge para uma linguagem própria, específica, dita "do teatro".

Já mostrou o seu trabalho ou ministrou oficinas nos seguintes países: Bélgica (Bruxelas, Liége, Gand, Lovaina), Espanha (Salamanca e Barcelona), França (Paris e Poitiers), Cabo Verde (Mindelo), Alemanha (Berlim), Moçambique (Maputo) e Brasil (Rio de Janeiro).

Newsletter

Desejo receber novidades sobre o Teatro Meridional.